Rafa fala sobre sua trajetória até chegar no Corinthians

Por Thiago Lopes • Caieiras | SP


Sob quarentena, Rafael Pereira da Rocha, o Rafa, jogador do Corinthians e velho conhecido da Fiel, concedeu uma entrevista exclusiva para a Rádio Poliesportiva. O ala de 37 anos falou sobre o início de sua carreira até a chegada ao Timão, sua passagem na ACBF e o sentimento de dívida com a equipe do Tubarão. Ele abriu até a possibilidade de ainda jogar pela equipe por mais um ano.

A trajetória de Rafa Rafael nasceu em Sobradinho, Distrito Federal, e por lá fez a base até chegar no Veranópolis, do Rio Grande do Sul, em 2003. Entretanto, veio a jogar a Liga Futsal três anos depois já com a camisa do UCS de Caxias do Sul.  Posteriormente, passou quatro temporadas na equipe de Minas, entre 2007 e 2010, e antes de chegar ao Corinthians em 2012, havia retornado para Brasília visando a Liga de 2011.

Dessa forma, Rafa se firmou com a camisa do Timão, por qual ficou cinco anos, antes de sua ida ao sul do Brasil. Ele conquistou títulos importantes na equipe do Pq São Jorge, como a inédita Liga Nacional de Futsal em 2016, além de três Ligas Paulistas – 2013, 2015 e 2016. Já em 2017 o ala foi para o Carlos Barbosa, onde passou por um momento complicado.

“Cheguei no (Carlos) Barbosa vindo de uma lesão, onde fiquei um ano e meio sem jogar. Foi uma experiência válida, mas não saiu como combinado no começo. Mas faz parte, conseguimos o título da Libertadores naquele ano e foi especial para mim. No Tubarão infelizmente só fiquei dois meses e tive que sair por problema familiares e retornar para Brasília. Sou muito grato pelo que fizeram por mim, principalmente o ‘Gordo’, ‘Pulita’ e o Caio. Quem sabe ainda não retorne um dia para jogar um ano e pagar um sentimento de dívida que fiquei com eles“.

A quarentena do Corinthians

Os campeonatos oficiais de futsal não chegaram a iniciar devido a pandemia do novo coronavírus. Portanto, assim como outras equipes, todo o elenco do Corinthians segue sob quarentena realizando as atividades em casa. E por ser do estado onde há mais casos de vítimas fatais pela doença (São Paulo), a equipe será uma das últimas a retornar aos treinos presenciais.


Sendo assim, Rafa, contou que antes da paralisação sua rotina diária era sempre chegar uma hora e meia antes dos treinos para realizar trabalhos específicos. Entretanto, já com essa pandemia, as atividades passaram a ser online, nas segundas, quartas e sextas pela manhã. Enquanto nos outros dois dias, sempre treina dois períodos com trabalhos encaminhados pelo preparador do clube.


Apesar desse momento muito diferente, o ala do Timão tem grandes expectativas para início da temporada. Lembrando que alguns campeonatos, como a principal delas a LNF, poderá haver mudanças no formato. E, certamente, os jogos, a princípio, serão realizado sem torcida…


“As expectativas são sempre altas, não tem como pensar diferente jogando no Corinthians. Espero que esse ano a gente conquiste os maiores títulos do Brasil. O principal é a liga. Com certeza é muito compreensível jogar sem torcida. Sentiremos muito a falta dela, será muito estranho no começo, mas temos que continuar representando muito bem aqueles que estavam sempre presentes no ginásio com muita entrega. De alguma forma eles estarão nos vendo”.

Melhor momento da carreira

Jogador experiente, aos 37 anos Rafa acumula grandes conquistas em sua carreira profissional. E apesar de ter jogado em três grandes equipes da elite do futsal brasileiro, principalmente Corinthians e ACBF – este o maior campeão da LNF, considera que seus melhores companheiros foram os quais estiveram com ele em Brasília. Em contrapartida, foi na equipe do Minas onde considera um momento mais importante em sua trajetória.


“Eu tive vários momentos importantes nos diversos clubes que passei, é difícil escolher um único momento. Mas considero que o mais importante para o meu desenvolvimento como atleta foi no Minas, porque lá eu me tornei um jogador de várias funções. Isso devo muito ao trabalho que era realizado pelo Perdigão, treinador da época. Me fez sair da minha zona de conforto e me tornar um jogador versátil“.


Divulgação do futsal

Recentemente, a TV Brasil fechou parceria com a Liga Nacional de Futsal e irá transmitir um jogo a cada rodada. A emissora irá cobrir um jogo a cada rodada em todos os domingos, às 11 horas (horário de Brasília). Vale ressaltar que isso não acontecia há mais de 10 anos. E Rafa vê positivamente essas novidades durante a paralisação, assim como a série do Magnus em parceria com o Desimpedidos, com Fred se tornando um jogador profissional.


“Fiquei muito feliz com a notícia de que o futsal irá passar na TV aberta. Me lembro que na minha primeira liga passava na Rede TV. O futsal só tem a crescer com isso e será bom para os jogadores também. Acho muito válido o marketing da Magnus. Foi uma ideia muito inovadora e acredito que iniciativas como essa podem contribuir muito para a visibilidade do nosso esporte”.





PATROCINADORES E APOIADORES:

penalty
travel ace assistence
globo
sportv
globoesporte.com
lei do incentivo
secretaria especial do esporte
Confederação Brasileira de Futsal
  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • YouTube - Black Circle

Confederação Brasileira de Futsal © Todos os direitos reservados.