Mercado da bola pesada agita início do ano

Por João Paulo Fontoura • Porto Alegre | RS


Enquanto a bola não volta a rolar dentro das quadras, a movimentação é fora delas. Encerrado o calendário 2020 atípico pela pandemia, a chegada da vacina alimenta a esperança de que na temporada 2021 os ginásios voltem a receber público. No futsal brasileiro, os clubes se mobilizam para o desafio da montagem dos elencos diante das competições que se avizinham. Por isso, é hora de se atualizar e saber como cada um está se preparando para mais um ano de dificuldades, mas de esperança renovadas, em todos os aspectos.

Crédito: Guilherme Mansueto - Sinoê fechou com o Magnus para 2021

O eixo paulista não teve grandes alterações até agora. Magnus e Corinthians, finalistas da LNF 2020 mantiveram Ricardinho e André Bié no comando das equipes, assim como a base dos grupos campeão e vice do ano passado. Sinoê foi o único que chegou na equipe de Sorocaba. Do interior paulista, o São José tem novo treinador, após Fernando Cabral ser vítima da Covid-19. Douglas Navas será o comandante, que terá os reforços do pivô Vinícius e dos alas Alisson, Felipe e Henrique. Agora sediada na cidade de Santo André, a Intelli será comandada por Ivan Gomes e o grande nome anunciado é o de Serginho Paulista, ex-Seleção Brasileira.


Estado com mais equipes na Liga, o Paraná reúne expectativas ao redor dos seus seis representantes. Bicampeão nacional, o Pato atravessa uma mudança que tem no novo técnico Paulinho Cardoso o fio condutor. No Umuarama, Nei Victor e sua comissão continuam. Quem deixou o clube foi o goleiro Alê Falcone. Ele é justamente a maior contratação do Marreco, que trouxe outros dois nomes conhecidos: Café, com passagem pela Seleção e o fixo Silva, que estava no Atlântico.

Crédito: Diego Lanesko - Ale Falcone vai defender o Marreco nesta temporada

No Foz Cataratas, o treinador Banana recebeu alguns reforços: os pivôs Julinho e Gugu Flores, artilheiro da última Copa do Brasil, e os alas William Douglas e Murilo. O hexacampeão estadual Cascavel anunciou diversos novos jogadores, dentre eles, o pivô Gessé, o ala Dieguinho, os goleiros Schutt e Douglas, e o fixo Rafinha. Do outro lado, o Campo Mourão também trouxe acréscimos, sendo os principais o ala Lucas Selbach e o fixo Cabreúva.


Na região centro oeste, o Brasília trouxe o goleiro Thiago Augusto, os alas Caio Carioca e Matheus Rosa e os pivôs Vitor Henrique e Matheus Gedeon para darem sequência ao estilo de jogo que deu o clube o troféu Fair Play na temporada passada. Em Minas Gerais, pouca movimentação. Enquanto o Praia Clube perdeu seu principal nome, o fixo Neto, que foi atuar na Itália, as apostas estão na continuidade do trabalho. Se Morcego é sinônimo de experiência no time do interior, Peri Fuentes segue à beira da quadra da equipe da capital.

Em Santa Catarina, o Tubarão é quem desperta maior curiosidade. À frente do novo projeto do clube está o novo treinador Sérgio Lacerda, bicampeão da LNF pelo Pato. O time que não conta mais com o aposentado Pakito, recebeu nomes como os alas Jedi, Vini Scola e Ernandes. Quem deixou o clube foi Vandinho, transferido para o Joinville. O tricolor trouxe ainda o fixo Daniel e renovou com boa parte do plantel, inclusive dois dos principais nomes: Willian e Dieguinho.

Crédito: João Duarte - Lacerda comandará a equipe do Tubarão em 2021

Joaçaba, Blumenau e Jaraguá mantiveram seus treinadores. Paulinho Sananduva poderá contar com as chegadas dos alas Alisson “Feroz”, Billy e Julinho, os pivôs Vitinho e Chico, além do fixo Augusto. Xande de Melo recebeu o pivô Daniel Alves, o fixo Cecatto e o ala Éder. Por fim, o Jaraguá de Fernando Malafaia precisa apagar a imagem do último ano. A grande expectativa é pelo retorno de Leco, após dez anos de volta ao clube onde levantou 40 taças. Além dele, chegam o pivô Dill e o ala Pett, na terceira passagem pelo time.


Ao final do mapa, os gaúchos também se movimentam. A ACBF aposta na continuidade do treinador Edgard Baldasso no comando do time. Ele poderá contar com um velho conhecido da torcida laranja. O pivô Denner está de volta e irá se juntar ao ala Murilo, o goleiro Pedro e o pivô Guilherme. O rival Atlântico, por outro lado, depois de três anos, troca de técnico. Thiago Raupp terá a responsabilidade de liderar o grupo. O experiente goleiro Tiago é a principal atração de um elenco que aposta nas crias da base como Erick, Muriel e Guto, sob a liderança do capitão Lucas. Quem ainda não se movimentou foi a Assoeva, que perdeu seu treinador Guilherme Verfe no final de 2020 e passa por um processo de reestruturação para a temporada.

Crédito: Edson Castro - Tiago é o principal reforço do Atlântico para a temporada