Goleiro Alê Falcone reforça o Marreco

Por Adolfo Pegoraro • Francisco Beltrão | PR

Crédito: Diego Lanesko - Alê, tem 30 anos, é natural de São Bernardo do Campo

O Marreco Futsal anunciou na manhã de quarta-feira, 23, a contratação do goleiro Alexey Fernandes Falcone, o Alê Falcone, principal jogador do Umuarama na temporada 2020. Natural de São Bernardo do Campo (SP), com 30 anos de idade, o atleta foi o goleiro artilheiro da Liga Nacional de Futsal (LNF) 2020 com quatro gols marcados. Inclusive, ele marcou dois gols na goleada do Umuarama contra o Pato por 5 a 2 na competição nacional. “Já bateu na trave umas duas vezes de eu ir pro Marreco, mas agora deu certo, graças a Deus. Gostaria de agradecer a confiança do professor Serginho e da diretoria do Marreco, que fizeram força para ter a minha contratação. Eu e minha família estamos muito felizes em fazer parte desse novo projeto de reestruturação do clube, que visa colocar o Marreco no lugar onde merece, que é disputando títulos, com muita vontade”, disse o goleiro.

“Pode ter certeza que o Alê Falcone que passou em todas as equipes é o Alê Falcone que vai vestir a camisa do Marreco, com muita determinação, com muita entrega, deixando a minha vida dentro de quadra pra poder honrar as cores do clube. Sei que a torcida é fanática, que faz uma festa bonita, estive muitas vezes no Arrudão como adversário, sofri bastante, mas agora eu vou ter o prazer de estar do mesmo lado. Que nós possamos trabalhar muito em 2021 para que seja uma grande temporada”, acrescentou Alê Falcone, que foi vice-campeão da Série Ouro 2020 com o Umuarama.


Carreira do atleta

Alê Falcone já tinha passagem pelo futsal italiano e pelo Palmeiras quando chegou ao CAD (Clube Atlético Desportivo), de Guarapuava, em 2014. Na época, era o terceiro goleiro, mas surpreendeu e terminou a temporada fechando o gol da equipe. Essas boas atuações o levaram a vestir a camisa da ACBF, de Carlos Barbosa (RS), em 2015 e 2016. Em 2017, ele jogou na Copagril, da Marechal Cândido Rondon; em 2018 e 2019 no Cascavel; e antes da pandemia estava jogando no Irã. Falcone também teve passagem pelo futsal de Portugal e pelo Flores da Cunha (RS).


“Minha primeira experiência como profissional foi em 2008, na Itália, onde em meu primeiro ano de sub-20 fui para o Augusta, que na época jogava a Série A do Campeonato Italiano. Só que foi uma experiência muito complicada, pois nos primeiros dois anos eu não pude jogar por problemas de documentação que até hoje não foram esclarecidos”, contou o goleiro.


“Em 2010, fui para o Palmeiras e ali tive a oportunidade de atuar no adulto algumas vezes. Na Itália, fui por intermédio do meu irmão Bruno Falcone, que na época era goleiro do profissional do Augusta e hoje não joga mais. Já no Palmeiras, o ex-goleiro Erick (hoje no Fut7 do São Paulo) fez toda a intermediação”, relembrou Alê.