Especial futsal feminino: conheça a equipe do São José - Rainhas do Drible

Por Bianca Ramos - Rainhas do Drible

• Itanhaém | SP


A filosofia do time é a de não só dar oportunidade para que as garotas se tornem excelentes atletas, como também que elas cresçam e, ao deixarem de atuar, sigam uma outra carreira profissional


Durante uma semana, vocês irão acompanhar uma sequência de matérias conhecendo as histórias de alguns times de futsal feminino do Brasil. O primeiro é o São José, equipe pioneira e campeã, que luta dia após dia pela valorização do esporte e da categoria no país.


Ao todo, são cinco títulos nos Jogos Abertos do Interior, seis paulistas, quatro regionais, dois metropolitanos e um vice na Taça Brasil sub-20.


O início do São José no futsal feminino

A categoria principal da equipe do São José dos Campos de futsal feminino começou oficialmente em 2013, mas nove anos antes ela já existia na cidade do interior paulista com o nome de “Buzzo Sports”, porém não disputava nenhuma competição fora do Estado.


“Desde a criação oficial do time, a nossa principal dificuldade foi captar patrocinadores em uma cidade com dezenas de equipes já concretizadas em outros esportes, como o futebol feminino e o basquete”, disse a comunicação da equipe ao Rainhas do Drible.


A fixa/ala Taís Andrade, de 28 anos, está na sua oitava temporada e veste a camisa do SJC desde 2013, ano em que foi formada a equipe profissional. “Considero a equipe referência por sempre brigar por todos os campeonatos. Desde a criação, sempre conseguimos nos manter entre os grandes do Brasil, com um projeto sólido em que temos grandes patrocinadores que nos dão todo suporte”, disse a atleta.


O início do projeto foi com o programa “Atleta Cidadão”, da Prefeitura de São José dos Campos. Um trabalho realizado apenas com atletas da cidade para as categorias de base. As garotas precisavam ter boas notas no colégio para seguir na equipe.


Quando o São José decidiu criar uma categoria principal, o objetivo era tornar-se referência na modalidade e incentivar as meninas a seguirem carreira no esporte e, principalmente, nos estudos, pilar primordial do time.


"As atletas acima de 18 anos recebem bolsas em faculdades e possuem a oportunidade de seguir uma carreira profissional. Hoje, cerca de 80% de atletas e ex-atletas têm formação em diversos ramos, como Educação Física e Fisioterapia”, contou a assessoria do time.

Compromisso com o futuro das atletas

Todas as atletas de futsal do São José precisam ter boas notas no colégio e um bom comportamento. Caso contrário, eles dão total liberdade e direito para a família suspender a atleta pelo tempo que acharem justo. “Já chegamos a disputar competições sem nossas melhores jogadoras porque elas não tinham um bom comportamento em casa e no colégio”, disse a comunicação da equipe.


A filosofia do time é a de não só dar oportunidade para que as garotas se tornem excelentes atletas, como também que elas cresçam e, ao deixarem de atuar, sigam uma carreira profissional.

"É muito importante ter clubes que saibam da importância dos estudos e não foquem apenas no futsal. A carreira na modalidade é curta e precisamos estar preparadas para seguirmos outras direções”, disse a ala Eduarda Francischine, de 21 anos.

Eduarda está no último ano de biomedicina e pôde dar continuidade ao estudo com a bolsa 100% ofertada pela equipe do São José. “Vou poder terminar o meu curso e estar apta a grandes conquistas fora das quatros linhas”, concluiu a atleta.


Tais Andrade foi convocada para a Seleção Brasileira de futsal em 2017. A atleta possui formação em Educação Física, bacharelado e licenciatura, e no momento está cursando Gestão Pública.


“Acredito que o SJC me moldou como pessoa porque foi aqui que vivenciei grandes desafios e conquistei grandes sonhos da minha vida”, disse Taís.


Categorias da equipe no futsal feminino

O São José possui o sub-11, que tem parceria com um colégio da cidade que trabalha com as alunas após o horário letivo. Os subs-13, 15, 17 e 18 são equipes que disputam o Campeonato Paulista e outras competições ao longo da temporada, como os Joguinhos da Juventude, disputado pelo sub-18. “Tínhamos o sub-20, mas justo esse ano não conseguimos montar”, contou a assessoria do time.


Já a categoria principal da equipe disputa as seguintes competições: Jogos Regionais, Jogos Abertos do Interior, Campeonato Paulista, II Campeonato Brasileiro (primeira edição foi realizada em 2015), Taça Brasil de Clubes, Copa do Brasil, Jogos Universitários (representando a patrocinadora UNIP) e a Liga Nacional de Futsal.

Crédito: Arquivo Pessoal - Categorias sub-11,13,15 e 17 do programa “Atleta Cidadão”.

“A prefeitura de São José dos Campos é totalmente responsável por manter o projeto. Não posso falar em valores, mas hoje é 60% da equipe”, informou a assessoria ao Rainhas do Drible.


Com a parada dos treinamentos presenciais e das competições, a equipe tem realizado as atividades de maneira virtual. A preparadora física elabora o cronograma da semana em horários diversificados, e quando tudo estava normal, os treinos eram realizados de segunda a sexta no Poli Altos de Santana, zona norte da cidade de São José dos Campos. “Sempre no horário da tarde, para as atletas conciliarem com os estudos”, frisou a comunicação da equipe.


Problemáticas do futsal feminino e sonho para a modalidade

Em conversa com a assessoria do São José, eles acreditam que o fato de ter uma categoria feminina inserida em uma modalidade que já enfrenta muitos problemas aumenta ainda mais as suas dificuldades. “Algumas pessoas ainda não acreditam nos espetáculos que podemos oferecer”.


O futsal feminino evolui muito a cada ano em nível técnico. As equipes estão mais competitivas, os treinadores estudam mais, buscam maneiras diferentes para o conceito do jogo. “Cada ano temos que nos reforçar e atualizar os estudos. As atletas se cuidam cada vez mais e, com isso, o nível dos jogos também é elevado”, acrescentou a assessoria.


"Não queremos projetar, mas desejamos que essa modalidade e a categoria feminina alcancem o patamar que merecem. Que tenham uma competição a nível nacional, que seja inteira televisionada, com patrocinadores e gestores que tratem com respeito esse desenvolvimento”, finalizou a assessoria da equipe de São José dos Campos.

Expectativa com a equipe de futsal pós-pandemia

A equipe do São José passou por algumas reformulações nesses dois últimos anos.  Troca da comissão técnica, saída de atletas consideradas importantes para o time e a chegada de atletas mais jovens e de destaque. Esses fatores fazem com que as expectativas da fixa/ala Taís sejam grandes. “Por conta da pandemia, ainda não conseguimos estrear em 2020, mas estamos treinando em casa para manter o condicionamento e estarmos preparadas para quando as competições voltarem”, concluiu a atleta ao Rainhas do Drible.

Crédito: Arquivo Pessoal - lenco principal para a temporada de 2020.


PATROCINADORES E APOIADORES:

penalty
travel ace assistence
globo
sportv
globoesporte.com
lei do incentivo
secretaria especial do esporte
Confederação Brasileira de Futsal
  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • YouTube - Black Circle

Confederação Brasileira de Futsal © Todos os direitos reservados.