Taça Brasil
  TAÇA BRASIL       15/04/2019  

Crédito: Marcela Rodrigues/FPFS

Sport e Praia Clube estão na final da Taça Brasil Sub-17. As equipes se garantiram na decisão nesta sexta-feira (12/04), ao baterem Madureira e São José-SC, respectivamente, no ginásio do Centro Esportivo Santos Dumont, no Recife. O Leão venceu o time carioca por 2x1, em um jogo nervoso. Já a equipe mineira bateu os catarinenses por 4x0. Ambas decidem o título nacional neste sábado, a partir das 10h, outra vez no centro poliesportivo.

O Sport contou com o apoio da torcida para poder passar de fase. Dezenas de rubro-negros estiveram nas arquibancadas do ginásio, torcendo e apoiando o Leão. Diego foi quem abriu o marcador, no primeiro tempo. Chegou a etapa final e o Madureira, atual campeão da Taça Brasil Sub-17, se lançou ao ataque. A equipe pressionou bastante os pernambucanos, ocupando a quadra de defesa leonina. A pressão foi tanta que Lucas Formiga, no bate rebate, empatou.
 
O jogo ficou nervoso e muito pegado. Contudo, perto do fim, o camisa 10 Deyvison colocou o Sport outra vez na frente do marcador, para a festa dos torcedores. Jefinho, do Madureira, passou a atuar como goleiro-linha. Mas os pernambucanos estavam bem postados defensivamente e deram poucos espaços. Após o apito final, a festa rubro-negra tomou conta do Santos Dumont.
 
"Sabíamos que seria um jogo muito igual. O time deles tem uma proposta de tudo ou nada, é muito imprevisível. É como eu disse desde a primeira rodada: temos que aprender a sofrer. E sofremos. Foi um jogaço. Eles também mereciam a vitória, se desse eles. Mas deu a gente. Agora vamos descansar para jogar mais uma final de Taça Brasil. Meus jogadores têm currículo, história e confio muito neles", afirmou o técnico rubro-negro Vanildo Neto.
 
Mais tarde, na partida que começou às 17h, o Praia Clube atropelou o São José-SC. A equipe mineira jogou na quadra de ataque do começo ao fim do primeiro tempo, pressionando a saída de bola do adversário e arriscando chutes de curta a média distância. Alex, Joel e Natan fizeram na primeira etapa.
 
Com o resultado já garantido, o Praia colocou o pé no freio na segunda etapa. Passou a administrar o resultado e jogar no erro do São José. Neto ainda marcou mais um gol, dando números finais a partida.
 
"Nós formamos essa equipe em fevereiro e tínhamos um método de trabalhar (trocar jogadores) de cinco em cinco minutos. Mas chegando aqui, com esse calor, eles mesmo me chamaram e pediram pra fazer o revesamento de trÊs em três. Deu certo. Se nós estamos na final hoje, é porque merecemos. Assim como o Sport. As duas equipes mais qualificadas para a final são as melhores do campeonato", analisou o técnico mineiro, Morcego. 

Com informações da Assessoria de Imprensa da FPFS