JOJ
  SELEÇÃO BRASILEIRA       17/10/2018  

Crédito: Martin Rose - FIFA/FIFA via Getty Images

A primeira participação do Futsal nos Jogos Olímpicos da Juventude vai chegando ao fim e com direito ao Brasil na disputa da medalha de ouro. Nesta quinta-feira (18/10), a Seleção entra em quadra contra a Rússia, a partir das 13h, com transmissão ao vivo do canal por assinatura SporTV para todo o país. Será a busca pelo sonhado ouro olímpico na modalidade.

E a caminhada para a decisão foi de muito esforço, que contou com uma primeira fase perfeita, com vitórias sobre Irã, Costa Rica, Ilhas Salomão e a própria Rússia - adversária na decisão. Na semifinal, um duelo recheado de rivalidade contra a Argentina mostrou a qualidade dos garotos do Brasil na competição, superando o clássico em um emocionante 3 a 2, com ginásio lotado e muita pressão das arquibancadas.

A trajetória, assim, é avaliada como positiva pelo técnico Daniel Junior. Ele afirma que o primeiro passo foi superar a falta de entrosamento natural do grupo, que foi sendo superada na medida em que o torneio foi avançando.

"Em um primeiro momento nos preocupamos conosco. Tínhamos que evoluir como equipe e conseguimos por meio de vídeos. Os adversários, todos muito difíceis, nos ajudaram a crescer, seja em questões táticas ou comportamentais, como Ilhas Salomão, onde nossa ideia foi a comprovação de uma identidade de intensidade", explica.

E a final?

Para quem acredita que a decisão diante da Rússia vai ser um jogo parecido com o da primeira fase, o técnico brasileiro ressalta que este pensamento está longe de ser realidade. As equipes agora já se conhecem e o fator decisão eleva a dificuldade do jogo, o que deve proporcionar uma grande partida para o público.

"Vai mudar muita coisa (da primeira partida). Do outro lado tem um dos melhores treinadores do mundo, experiente e vitorioso, capaz de fazer as leituras corretas do outro jogo, além de ter trabalhado com inúmeros brasileiros e saber as características do nosso estilo. Será um jogo muito difícil, com certeza, pela alta qualidade do comando e de atletas", pontua Daniel.

Mas o treinador brasileiro acredita que um fator vai fazer ainda mais diferença em favor da Seleção: a torcida. Daniel Júnior destaca a força que vem das arquibancadas e como isso pode mudar a perspectiva de uma partida, além das inovações da tecnologia, como a aproximação dos jogadores com o público através das redes sociais.

"Vimos aqui na Argentina uma grande quantidade de torcedores brasileiros apaixonados pelo esporte. Em relação às redes sociais, segundo relato dos atletas, também é grande a movimentação e carinho, e para eles, logicamente, são estimuladores para fazer uma grande competição", explica.