Taça Brasil
  TAÇA BRASIL       11/05/2018  

Crédito: Gabriel Ortiz/CBFS

Atualizada às 21h37

Mais emocionante não poderia ser. O Minas Tênis Clube (MG) está na final da Taça Brasil Sub-15 graças a um gol no último minuto do seu goleiro Arthur. A partida estava empatada em 2 a 2 e caminhava para a prorrogação quando aconteceu a façanha. Com a vitória por 3 a 2, o time mineiro se classifica para a final, onde irá encarar o Sport (PE) - que venceu o COPM/Bombeiros (CE). A Chapecoense (SC) se despede com quatro vitórias e uma derrota.

O JOGO

O primeiro tempo cumpriu o que se esperava: muito equilíbrio na condução de jogo. Empurrado pela torcida, o Minas ia se inflamando com o passar do tempo. Quando Lucas Diniz acertou o pé, foi mortal para o goleiro: 1 a 0 para o Minas. Depois disso, a Chape saiu mais para o jogo, deixando o contra-ataque para o time da casa. Em um deles, o árbitro marcou pênalti para o time mineiro. Rafael Machado converteu e fez 2 a 0. Resultado do primeiro tempo.

Na volta dos vestiários, só havia uma saída para a Chapecoense: ir para cima. E foi isso que se viu. Só deu o time catarinense no segundo tempo. Rafael Ramos fez o primeiro e Kaua empatou dando ainda mais drama à partida. Com a vantagem do empate em uma possível prorrogação, coube ao time de Chapecó segurar a bola nos minutos finais.

Não contavam porém que o herói improvável aparecesse. O goleiro Arthur, do Minas, lançou a bola à frente faltando um minuto para o final. A jogada foi em direção ao gol e o arqueiro da Chape não segurou. Final: Minas 3, Chapecoense 2. Com muita festa na Arena Minas.

Entre aspas

“A intenção era chutar para o gol. Mas nem eu acreditei que acertaria um chute desses. Saímos com a vitória e agora precisamos descansar porque foi difícil”, explicou Arthur.

“Pegamos a equipe de maior qualidade. Precisávamos ser consistentes. Não fizemos um jogo tão perfeito para vencer. Mas a gente soube sofrer. Sofremos muito no final do primeiro tempo. E não conseguimos nem atacar no segundo tempo. Mas isso vem premiar nosso trabalho. A gente sabe que todo mundo treinou, mas ninguém treinou mais que a gente. É especial estar nessa final depois do terceiro dia de jogo dessa forma”, comento o técnico Diogo Barros do Minas.

Gabriel Ortiz para CBFS