Marca expressiva
  CBFS       16/05/2017  

Crédito: Adolfo Pegoraro/Marreco

Quinta-feira, às 19h15, o Cresol/Marreco Futsal entra em quadra na Arena Sorocaba para enfrentar o Magnus (SP), time do craque Falcão, pela quinta rodada da Liga Nacional de Futsal (LNF). Para o técnico Fabinho Gomes, não vai ser um jogo normal. Trata-se de uma partida histórica. Vai ser o 100º jogo do comandante à frente da equipe de Francisco Beltrão. Desde maio de 2013, quando chegou ao Cresol/Marreco pela primeira vez, Fabinho treinou a equipe em 99 jogos, sendo 54 vitórias, 25 empates e 20 derrotas, um aproveitamento de 63% dos pontos.

"Não só o Marreco, mas a cidade de Francisco Beltrão representa muito na minha vida. Foi o lugar em que eu melhor me adaptei na minha carreira", comenta Fabinho Gomes, que está muito feliz com o momento que está vivendo em sua carreira. "Francisco Beltrão é a cidade que eu amo, o Marreco é a equipe que eu tenho orgulho em comandar. Esse 100º jogo me deixa muito orgulhoso e feliz em saber que a diretoria confia no meu trabalho. Estamos conseguindo fazer bons jogos, com confiança, com carta branca da diretoria, o que eu acho que hoje é muito difícil."

Ele quer um título

Fabinho Gomes diz que seu sonho é trazer para Francisco Beltrão um título de expressão no futsal. "A primeira vez que eu vim pra essa cidade foi em 2008, para treinar o Beltrão Futsal. De lá para cá, montamos equipes fortes, mas está faltando um título do Paranaense ou outra competição de nível nacional. É isso que vamos buscar neste ano em que o Marreco completa 10 anos de história", almeja.

Quem é Fabinho?

Fábio da Silva Gomes Filho, o Fabinho, é natural de Bebedouro (SP) e tem 37 anos. Em 2007, ganhou notoriedade por levar a Intelli (SP) pela primeira vez a uma semifinal de Liga Nacional. Na metade de 2008, foi contratado pelo Beltrão Futsal, para a disputa da Série Ouro do Paranaense, e ficou até o fim de 2009. Depois Fabinho ainda comandou o São Paulo FC na Liga Nacional, o Sertãozinho no Paulista e teve uma rápida passagem pela Copagril, de Marechal. Em 2013, Fabinho voltou para Francisco Beltrão, mas para comandar o Cresol/Marreco Futsal. Ele ficou no cargo até metade de 2014.

Em 2015, levou o Foz Cataratas para a semifinal da Série Ouro do Paranaense. Na metade de 2016, voltou para o Cresol/Marreco Futsal e mais uma vez foi semifinalista do estadual.

Fabinho Gomes diz ter gratidão por todos os beltronenses que o acompanham, mas uma pessoa, em especial, merece destaque: Ademilson Arendt, o Míssio, diretor de esportes do Cresol/Marreco. "Desde 2013, o Míssio confia no meu trabalho, em todos os momentos em que eu estive aqui. Ele é uma das pessoas especiais que eu tenho aqui em Francisco Beltrão. Mesmo quando eu saí para ir para o Foz, ele sempre acompanhou o meu trabalho e batalhou para que eu pudesse voltar", declara.

Embora esteja em sua terceira passagem pelo futsal de Francisco Beltrão, Fabinho Gomes sempre deixou as portas abertas. "Sei que algumas pessoas não gostam do meu trabalho, mas isso é normal. Nenhum treinador agrada a todos. Mas sempre me dediquei ao máximo por essa cidade e por esse clube. A entrega é muito grande para dar certo. E vai ser sempre assim."

Retrospecto de Fabinho Gomes no Cresol/Marreco

TOTAL: Foram 98 jogos, com 53 vitórias, 25 empates e 20 derrotas. Aproveitamento de 62,58%.

Com informações da Assessoria de Imprensa do Marreco Futsal